quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Por que não eu? (ou...ainda bem!)

Cenário: Um sinal vermelho em uma esquina da cidade. Nos sinaleiros fechados de nossas cidades, sempre aparece alguém oferecendo ou pedindo alguma coisa. Sabemos que a vida não está fácil para ninguém, mas assim como encontramos em nossas esquinas, pessoas realmente necessitadas, existem alguns espertos que se aproveitam da bondade alheia para faturar algum trocado. Não cabe a mim julgar. Estou eu, dentro do meu carro parado no sinal, cercado de carros mais novos por todos os lados. Aliás, mais novos, de luxo e importados. Eis que se aproxima um rapaz com um papel na mão. Passa de carro em carro, conversa, recebe alguma coisa, olha para o meu carro e o ignora, indo para o próximo veículo importado. Nesse instante, fiquei pensando que hoje em dia, até para ajudar alguém precisamos estar bem vestidos e de carro novo. Um veículo nacional com oito anos de uso como o meu, definitivamente não inspira confiança. Não sei se fico feliz ou choro...
Postar um comentário