domingo, 23 de novembro de 2008

Obra, prima?

Toda obra é única! E, cada um coloca lá as suas notas, os seus traços, os seus riscos, os seus floreios, as suas palavras, os seus rabiscos, as suas rimas, os seus devaneios e as suas cismas. Cada reação, bom gosto, desgosto, indiferença, sucesso, remorso, encosto, fracasso e desprezo, é conseqüência. Pinto com minhas tintas, escrevo com minha pena, cumpro minha vida e canto com minhas sílabas. Quem se importa? A obra é minha, mas é prima de quem?
Postar um comentário