sexta-feira, 26 de maio de 2017

Em Portugal...


Livro escrito a quatro mãos com o querido amigo Márcio Martellii, a ser lançado em Portugal, em junho, na Feira do Livro de Lisboa.

*****



sábado, 13 de maio de 2017

Um século das Aparições de Fátima...


Hoje completa cem anos da primeira aparição de Nossa Senhora em Fátima, Portugal. Aqui, relembrando uma visita ao santuário. Emoção e fé.

*****




domingo, 7 de maio de 2017

Palestrando...


Há dois anos atrás, fazendo a palestra "Chimarrão e arte: a criação em continuidade com a vida."na Universidade Federal de Santa Maria - RS, durante o Décimo Encontro de Escritores do MERCOSUL...




quinta-feira, 4 de maio de 2017

Apesar...



Noite chuvosa; já há raiar na alma..

                                                 *****


domingo, 30 de abril de 2017

domingo, 16 de abril de 2017

Pegadas de coelho...



Domingo de Páscoa! Embora com os filhos crescidos e já na faculdade, fiz hoje pegadas de coelho com farinha e carinho pelo chão da cozinha e deixei os ovos de chocolate cuidadosamente escondidos. Por um instante os vi pequenos, pulando de alegria, carinha de sono, a procura de suas cestas com os ovos. Um dia, em uma outra época, tomara que meus netos possam viver também essa singela fantasia. Feliz Páscoa!


12/04/2009
11h 59min
Jefferson Dieckmann



quarta-feira, 29 de março de 2017

Curitiba, 324 anos!!!!



Curitiba, 324 anos!

Desconfiança no olhar
De um povo confiante
Quatro estações
Num único dia
O tempo mudando
Nas flores da rua
Na boca maldita
Nas casas polacas...
Na praça do oriente
Meu coração confiando
No verde dos parques
No sorriso da gente
No nosso sotaque
No leitE quentE
Eu sempre lembrando
Da bela cidade
Dos muitos pinhões
Da felicidade
De rostos e corações
Fecho os olhos pensando
Que em um certo julho
Em seu colo aquecido
Você a mim acolheu
Hoje, anos depois
Sem medo afirmo
Sem ti, Curitiba
Eu não seria eu...

*****



sábado, 25 de março de 2017

Introdução ao estudo das lágrimas...


De onde elas vêm? O que são as lágrimas? Por que elas irrompem em nossos olhos em muitas situações? Na maioria das vezes, lavam o nosso rosto vindo sem qualquer aviso. Surgem líquidas, límpidas, cristalinas, expressando e demonstrando diferentes sentimentos como dores, tristezas e até alegrias. Existem as lágrimas de desesperança, as lágrimas de dor, as lágrimas de amor, as lágrimas de saudade e até mesmo as lágrimas de felicidade. Elas exprimem sentimentos de uma forma silenciosa, tornando nesse momento, desnecessárias as palavras. Aliás, elas cumprem sua missão em um belo e singelo silêncio. Em sua curta vida, essas pequenas gotas geradas no olhar, caminham pela face e vêm nos lábios desaguar. Quem somos nós para entender a grandeza das lágrimas?

16/12/2008
20h 15min

Jefferson Dieckmann

No Centro de Letras do Paraná...


Curso de Criação Literária, segunda aula, aconteceu hoje, dia 25/03/2017.

*****



terça-feira, 14 de março de 2017

quarta-feira, 8 de março de 2017

8 de março...


Hoje, 8 de março, ao invés de escrever um poema em homenagem às mulheres, o meu desejo é que o mundo se torne mais igualitário e que elas tenham, de fato, mais igualdade e as mesmas oportunidades que os homens, no ambiente de trabalho e na sociedade. E que, finalmente, acabe toda e qualquer violência contra a mulher, principalmente a doméstica, essa ameaça silenciosa que impera, infelizmente, dentro das paredes de um lugar que deveria ser um lar. Parabéns a todas as mulheres, hoje e sempre! Esse mesmo mundo, do qual se espera essa real mudança, não seria nada sem vocês.

*****


terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

E, se? (2)



Se o nosso povo usasse toda a coragem, garra, criatividade, falta de cansaço, persistência e perseverança demonstrados nos desfiles de Carnaval para mudar o Brasil, seríamos o maior e melhor país do mundo em poucos anos.


*****


domingo, 26 de fevereiro de 2017

Ecos...


Ecos...

Fecho os olhos e ainda toco o ontem...

26/02/2013
18h 15min

*****

sábado, 25 de fevereiro de 2017

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

TOPCAM - Pelotas - Kleiton e Kledir







Embora eu seja natural da vizinha São Lourenço do Sul, foi em Pelotas que plantei a semente que, ao frutificar, me transformou no que sou hoje. Pelotas é um pouco minha, também...



*****



terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Sete cores...




Após a chuva, tu, distraída, pegavas o arco íris.
Eu, ao lado, viajava de carona no teu olhar...

07/02/2013
07h 09min

*****


quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

31 de Janeiro...



O dia 31 de janeiro sempre foi uma das minhas datas favoritas. Acho que, a cada ano que se completa, e onde a vida se renova iniciando um novo ciclo, é sempre um grande motivo, senão o maior, para ser comemorado. Venho através deste, agradecer a cada um e a cada uma de vocês, familiares, amigos, amigas, colegas escritores e poetas, pessoas deste e do outro lado do Atlântico que dispuseram de um tempo para pensar em mim e escrever uma mensagem de felicitação pela passagem do meu aniversário. Agradeço, também, a quem não teve tempo, não lembrou ou não desejou escrever nada. Saibam todos que, cada um e cada uma de vocês faz parte da minha vida e da minha história. Cada um de nós, ocupa um papel e tem uma importância na vida do outro, independente de escala ou de medida dessa importância. 
Enfim, agradeço a todos e a cada um, por existirem e fazerem parte da minha existência. Grato a todos e a todas pelo carinho e pela amizade. Um grande e apertado abraço!


*****


sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Sempre...




Cada pequena vitória deve ser comemorada, assim como toda lágrima precisa ser honrada...

22/01/2017
17h 27min


domingo, 22 de janeiro de 2017

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

sábado, 14 de janeiro de 2017

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

D. G.


David Gilmour: Never underestimate an OLD MAN who listens to PINK FLOYD...! 

Imagem: Web






segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Amizade terapêutica...



Ele se sentiu importante, quando o psiquiatra lhe deu a mão e o tirou de baixo da mesa...

25/08/2009
21h 45min



domingo, 8 de janeiro de 2017

De menor importância...



Ele sempre se incumbiu de coisas pequenas. Na infância, não brincava no chão para não sujar os brinquedos e a roupa. Na escola, era um dos alunos mais quietos da sala, para não ser notado. Na juventude, a timidez o impedia de se aproximar das garotas. Durante a vida adulta, se enfurnou na mesa do fundo em uma repartição pública, onde não era necessário fazer esforço algum para receber o salário no final do mês. Aos setenta anos, morreu. Ao seu enterro, quase ninguém foi. Afinal, era um dia chuvoso e ele sempre se ocupara de espetáculos de menor importância, mesmo quando era o personagem principal...
02/03/2009
12h 30min


quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

terça-feira, 3 de janeiro de 2017