quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Envelopes

A correspondência acaba de chegar. Olho os envelopes e não os abro. Conterão boas novas? E se for aquilo que tanto espero? Não sei... Na dúvida... O maior me parece confiável, mas os outros podem dizer coisas que não quero saber. O mundo exterior insiste em entrar aqui, mesmo na forma de cartas. São ofertas, promoções, promessas, propagandas, ofensas. Eu não pedi nada! Vou sair! Na volta, penso no que fazer. Quem sabe mudo de endereço, deixo de ser destinatário e trato de cuidar melhor do meu destino. Para que lado vou? Que rumo tomar? A resposta não terá vindo pelo correio? Alguém, aí fora, pode gostar de mim...
Postar um comentário