sexta-feira, 29 de abril de 2016

No Solar do Rosário...


As Lentes de Fernanda Eliza Eick e os Versos de Jefferson Dieckmann em forma de livro, nas mãos do ex-prefeito e maior conhecedor da nossa cidade, Rafael Greca de Macedo, durante o seu brilhante curso "História e Urbanismo de Curitiba".

Foto de Déh Pinheiro, a quem eu agradeço.
  

*****


quinta-feira, 28 de abril de 2016

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Nenhum de Nós - Vou deixar que você se vá






Minhas mãos estão cansadas
Não tenho mais onde me agarrar 
Tudo já se foi 
Amizade carinho e amor 

Não há mais por que lutar 
Minhas mãos estão cansadas 
Não vou mais lhe segurar
Vou deixar que você se vá


Não vou mais lhe segurar 
Vou deixar que você se vá (Bis) 
Não vou mais lhe segurar 
Vou deixar que você se vá 

Procure o seu caminho 
Eu aprendi andar sozinho 
Isto foi há muito tempo atrás 
Mas ainda sei como se faz 
Minhas mãos estão cansadas 
Não tenho mais onde me agarrar
Eu não vou mais lhe segurar 
Vou deixar que você se vá...






Finalmente, outono!


A Curitiba cinzenta voltou! Bem-vinda!

                                                    Foto: Jefferson Dieckmann

*****


domingo, 24 de abril de 2016

"Nenhum de Nós"...




Show da banda gaúcha de rock "Nenhum de Nós" no Grande Auditório do Teatro Guaíra - Curitiba - PR...

*****


sábado, 23 de abril de 2016

23 de Abril - Dia de São Jorge...


Em minha infância, ganhei de presente, um quadro de São Jorge. Eu o mantinha sempre na parede na cabeceira de minha cama. Daí, a minha fé no santo guerreiro. Abaixo, uma das várias orações dedicadas à São Jorge.

“Jesus, adiante a paz e guia, encomenda-me a Deus, meu pai, aos doze apóstolos, meus irmãos. Andarei este dia e noite, eu e meu corpo, cercado e circulado pelas armas de São Jorge. Meu corpo não será preso, nem meu sangue derramado. Andarei tão livre como andou Jesus Cristo nove meses no ventre da Virgem Maria. Inimigos terão olhos e não me verão, terão pés e não me alcançarão, terão bocas e não falarão, terão mãos e não me ofenderão, más intenções, palavras e línguas não me atingirão. Cheio de fé, rogo ao meu anjo guardião, que não me abandone, me proteja, me dê coragem e me livre dos inimigos. Graças a Deus!“


Imagem: Google



quinta-feira, 21 de abril de 2016

Iluminando...



                                       Foto: Jefferson Dieckmann 

*****



terça-feira, 19 de abril de 2016

A banda...


Década de 70; banda marcial da Escola Técnica Federal de Pelotas - RS

*****


segunda-feira, 18 de abril de 2016

És...


                                                       Poema: Jefferson Dieckmann



sábado, 16 de abril de 2016

quinta-feira, 14 de abril de 2016

O bairro Portão, hoje...


*****
                                          Foto: Jefferson Dieckmann



quarta-feira, 13 de abril de 2016

O caminho...


                                           Foto: Jefferson Dieckmann

*****


segunda-feira, 11 de abril de 2016

"Sarau da FIFA"...


Apresentação no Sarau Popular realizado no espaço do Ministério da Cultura, durante a FIFA Fan Fest no período da Copa do Mundo de futebol no Brasil.  Local: Pedreira Paulo Leminski - Junho de 2014.

*****



Deep Purple - Demons Eye







*****




domingo, 10 de abril de 2016

Introdução ao estudo das lágrimas... (reedição)


De onde elas vêm? O que são as lágrimas? Por que elas irrompem em nossos olhos em muitas situações? Na maioria das vezes, lavam o nosso rosto vindo sem qualquer aviso. Surgem líquidas, límpidas, cristalinas, expressando e demonstrando diferentes sentimentos como dores, tristezas e até alegrias. Existem as lágrimas de desesperança, as lágrimas de dor, as lágrimas de amor, as lágrimas de saudade e até mesmo as lágrimas de felicidade. Elas exprimem sentimentos de uma forma silenciosa, tornando nesse momento, desnecessárias as palavras. Aliás, elas cumprem sua missão em um belo e singelo silêncio. Em sua curta vida, essas pequenas gotas geradas no olhar, caminham pela face e vêm nos lábios desaguar. Quem somos nós para entender a grandeza das lágrimas?

16/12/2008
20h 15min


sexta-feira, 8 de abril de 2016

quinta-feira, 7 de abril de 2016

Poesia em tempo de guerra: Theatro Sete de Abril...

Poesia em tempo de guerra: Theatro Sete de Abril...:   Theatro Sete de Abril O Theatro Sete de Abril foi o primeiro teatro construído no Rio Grande do Sul e é um dos teatros mais antigo...

*****


Mais um anoitecer...


*****

                                  Foto: Jefferson Dieckmann



quarta-feira, 6 de abril de 2016

Jornada...


Asas metálicas
não te trazem.
Fecho os olhos.
Transmutando,
te encontro...
no sonho.

06/04/2016
18h 01min

Zero - Formosa (remix)




Formosa... (Zero)
Toda a noite eu deito e não consigo adormecer
A luz se apaga e em um quarto escuro eu continuo a te ver
Eu continuo a te ver...
Teu cheiro está tão perto que eu não pude resolver
Se insisto em te procurar ou se tento te esquecer

Mais uma noite sem você, que parece nem ligar
E eu vou dormir prá quê ?
Se eu estou a fim de me entregar...
Já que eu não posso ter você fecho os olhos
E qualquer corpo passa a ser o seu
Qualquer corpo passa a ser o seu

Não sei por que você prefere duvidar de quem te diz que sente a tua falta
E não consegue ser feliz
Eu não consigo ser feliz...
Rolo em minha cama a noite inteira sem saber se insisto em te procurar
Ou se tento te esquecer...
*****

segunda-feira, 4 de abril de 2016

Entardecer...


*****

                                                                           Foto: Jefferson Dieckmann