quarta-feira, 19 de março de 2008

O bom combate

Há poucos dias, fui convidado a fazer parte de uma chapa para concorrer a direção do Diretório Central dos Estudantes da instituição onde faço o curso de Direito. Embora já com meu tempo bastante curto devido a várias atividades, aceitei, ao perceber o espirito aguerrido de meus jovens companheiros de chapa. Embora tivéssemos menos de uma semana para a campanha, arregaçamos as mangas e fomos em frente, tomados de idealismo, vontade, coragem e sobretudo, união. Após uma rápida campanha, fomos às urnas. Mesmo que o resultado tenha sido adverso para nós, perdendo a eleição, senti que saímos vitoriosos. Ao cumprimentarmos os vencedores do pleito e olharmos para nós mesmos, percebi o quanto evoluímos nesses poucos dias de luta. O nosso pequeno grupo, que permaneceu unido até o final da apuração, foi o último a sair, tarde da noite, do prédio já vazio da instituição de ensino. Antes de voltarmos para casa, paramos para tirar uma última foto que certamente será guardada com orgulho, pois sempre representará um momento de união, garra, determinação e amizade. Penso que, assim como usamos essa união para concorrer a uma eleição interna entre acadêmicos, amanhã esse mesmo sentimento ganhará as ruas, colaborando quem sabe, para a condução dos destinos dessa nação. Acho que combatemos o bom combate, que é aquele travado em nome de nossos sonhos e ideais. Combatemos o bom combate, mantemos e manteremos a fé. A partir desse episódio, creio que o grupo formado por meus jovens companheiros do curso de Direito, futuros promotores, juízes, delegados e políticos, poderá contribuir para a mudança do futuro de nossa nação e de nosso povo, com a mesma garra agora demonstrada. Todos saímos fortalecidos e vitoriosos, mas a luta continua...
Postar um comentário