terça-feira, 25 de março de 2008

É da vida...

Ela era uma morena alta, bonita e sensual. Economista, saíra do Brasil devido a vida difícil e tinha muitas esperanças de se dar bem na Europa. Passara pela França, Espanha e agora vivia na Itália. Já estava longe de casa há dois anos e continuava sobrevivendo como diarista. Limpava casas todos os dias em troca de uma miséria. Cansada de ter cheiro de desinfetante nas mãos e cera nas unhas, deixou de lado o avental e a vassoura e decidiu usufruir de seus atributos físicos. Resolveu ser prostituta de luxo. O dinheiro antes minguado, agora começou a aparecer em abundância. Era sempre requisitada, procurada por clientes fixos e jamais deixou de cobrar, por mais que simpatizasse com eles. “O preço é justo”, pensava. “E, com simpatia, é mais caro!” Números frios...
Postar um comentário