terça-feira, 8 de abril de 2008

Porre

Noite chuvosa. Água caindo a cântaros. Na delegacia, o plantonista da carceragem com as celas e o saco cheios. Mais uma ocorrência. Um bêbado, preso por arruaça na via pública. Ao ouvir a queixa, sem erguer os olhos, diz: “deixa ele na chuva, até passar o porre”. E, assim foi feito. Pronto! Um bêbado e um B.O. a menos... Noite interminável...!
Postar um comentário