sexta-feira, 25 de abril de 2008

O mundo virtual de cada um

Ouvi isso de um amigo e concordei com ele. Essa é uma verdade inquestionável. Atualmente, com a moderna tecnologia, temos e fazemos coisas fantásticas na Internet. Temos informação, conhecimento, diversão, novos relacionamentos e muito mais. Tudo isso, mostrado na tela do nosso computador. Assim, conhecemos pessoas, iniciamos relacionamentos e percorremos o mundo, apenas com alguns toques no teclado. Desse modo, entramos no chamado mundo virtual. Temos até a possibilidade de criar um personagem e viver uma segunda vida nesse inovador e fantástico mundo virtual. Mas, o que é afinal, esse mundo virtual? Ora, não é um mundo no qual criamos e mantemos coisas que, embora estejam lá, não podemos tocar? Não é um local onde criamos as nossas fantasias, coisas impossíveis na vida real, e as realizamos? Lá, nós somos, fazemos e temos o que quisermos. É uma maravilha, embora não seja real. Trazendo isso para a realidade palpável, não podemos dizer que uma boa porção da raça humana vive em um mundo virtual, mesmo sem nunca ter visto um computador? Quantos sonham com um prato de comida e não tem? Quantos se imaginam morando em uma casa e, quando abrem os olhos vêem apenas um viaduto ou uma caixa de papelão no chão? Quantos necessitam de um atendimento médico e morrem nas portas de um hospital público superlotado? Quantas crianças imaginam ter o amor de um pai e uma mãe, ganhar brinquedos no Natal e possuem apenas a dura realidade do abandono e da vida nas ruas? Todas essas coisas estão lá, a um toque da mão, mas eles não as possuem. Então, todos esses sonhos e anseios destes nossos irmãos, não fazem parte de um mundo virtual? Por que o virtual deles é mais duro que o nosso? Então, realmente, o que é virtual? Enquanto não encontrarmos essa resposta, teremos dois mundos distintos compartilhando o mesmo espaço. Só que, as mensagens eletrônicas são verdadeiramente virtuais, enquanto que a fome, a miséria e o abandono são cruelmente reais.
Postar um comentário