terça-feira, 16 de setembro de 2008

O leão de hoje

O de hoje, foi difícil. Lutou, relutou, resistiu, endureceu. Mostrou suas garras afiadas, mas por fim desistiu, capitulou, morreu. Dia pesado, combustível escasso, moedas juntadas. Esperança, dúvidas e dívidas juntas. A submissão ante o senhor dos dinheiros, o olhar de baixo para cima, a vista turva e a cabeça pesada. O céu escuro encobriu os músculos já cansados, noite adentro. A lua me acha arranhado, cansado, mas bem. Está tudo certo! Afinal, não temos mesmo que matar um leão por dia?
Postar um comentário