segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Cruzada inglória

Desde cedo, nessas manhãs ainda frias de setembro, tristes criaturas se encolhem pelas esquinas das cidades agitando bandeiras e empunhando cartazes. Empunham essas bandeiras sem muita convicção, agitando-as mais para não sentir frio que propriamente pelo apego às idéias que elas passam. Sabem, que ao final do dia, receberão o seu pequeno mas necessário pagamento. Nos cartazes, sorrisos que se transformarão em gargalhadas, se a população os avalizar. É triste ver uma parcela deste povo a serviço de partidos e candidatos que os esquecerão no mesmo instante em que forem eleitos. Afinal, o seu papel já foi cumprido e existe nova data para que eles sejam lembrados, daqui a exatos quatro anos.
Postar um comentário