quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Mais um dia...

Mais um dia sombrio, frio. Por vezes, o tempo não passa. Por vezes, ganha asas. O abrir dos olhos e a percepção de que tudo é realidade, é real demais para o meu gosto. Todos têm os seus problemas e preocupações de como resolve-los. Ninguém tem tempo e vontade de olhar para o lado. Dia corrido, visita médica na noite, olhos abertos, mente congestionada. Até onde? Até quando? Ao abrir a janela, percebe-se que os sentimentos estão soltos, espalhados pelo quintal, pelas ruas, pelo caminho. Estão em todos os lugares, menos onde realmente deveriam estar, no lugar onde poderiam ser sentidos. Aliás, nada faz muito sentido. Nada, nenhum lugar e quase ninguém. Mas, se é assim, acostumemo-nos assim. Vamos apenas esperar e ver onde esse caminho vai dar. Em um ser, em um ter, um parecer ou em lugar nenhum.
Postar um comentário