segunda-feira, 26 de abril de 2010

O caos é igual para todos...

Final de tarde, começo do caos. Chuva torrencial lavando e varrendo a cidade, impiedosamente. Trânsito caótico, em comunhão com casas alagadas e ruas intransitáveis. Possantes e belos automóveis com seus condutores enfatiotados, se arrastando como meras carroças, ao lado de pedestres encharcados de água e pobreza. Todos na mesma condição. Todos iguais. Nessa hora, de nada adianta posição, riqueza ou poder. São pobres mortais, como os mortais pobres. E a chuva continua...
Postar um comentário