sábado, 18 de abril de 2009

Futebol no tapete da sala

Em uma conversa agora a pouco com meu filho, veio a tona algo de nosso passado. Ao fazer uma arrumação em seu quarto, ele encontrou uma bolinha de couro, já velhinha e desgastada. Imediatamente, veio me mostrar e lembrou que era com aquela bolinha que nós dois brincávamos sobre o tapete da sala de casa, quando ele era pequeno. Ele deveria ter uns três ou quatro anos de idade e, nós dois em cantos opostos da sala, ficávamos jogando, ora com os pés, ora com as mãos. O jogo consistia basicamente, em eu arremessar a pelota e ele, tal qual um goleiro, defender. Com muito esforço, ele se atirava, se esticava todo e conseguia defender a maioria de meus “chutes”. Era uma festa! Hoje, muitos anos depois, ao ver a bola, eu disse: “pôxa, como está velhinha!”No mesmo instante, ele sem pestanejar, me respondeu: “é por que ela tem toda uma história, pai!” Preciso dizer mais alguma coisa?
Postar um comentário